Construção Civil Projeta Crescimento de 15% apesar da crise

Vendedores e Construtoras de imóveis afirmam se surpreender com procura nesse período

Enquanto os setores de comércio e serviços sofrem com a quarentena e exigem do governo do Estado o afrouxamento das medidas de distanciamento social, corretores que trabalham com a venda e construção de imóveis residenciais ficam surpresos com a demanda nesse período de crise financeira. 

“Houve uma redução na procura, mas está ainda bem melhor do que eu imaginava no começo dessa crise. Muitos trabalhadores sentem que seus empregos estão ameaçados e, por conta disso, desistiram de comprar um imóvel agora. Mas mesmo assim, tem pessoas que foram demitidas, que preferem usar o dinheiro da indenização para investir na casa própria”, afirma José Carlos, conhecido como “Zé Carlinhos”, que trabalha com a construção e venda de imóveis residenciais.

Para Michelle Rodrigues, que trabalha com vendas e avaliação imobiliária, a inadimplência continua a ser um dos grandes problemas enfrentados pelos corretores imobiliários, assim como era antes da pandemia. “Basta checar a quantidade de imóveis que a Caixa retomou porque os clientes não conseguiram pegar as prestações. Esse número só aumenta. Mas não fomos afetados como o comércio, que parou completamente. A procura está até me surpreendendo”, declarou.

O motivo, de acordo com eles, foram as medidas implantadas de crédito imobiliário adotadas pela Caixa com o objetivo de reduzir os efeitos de crise no atual cenário econômico. O banco implementou uma pausa de 90 dias no financiamento habitacional e ainda carência de 180 dias para contratos de financiamentos de imóveis novos e ainda a liberação antecipada de duas parcelas para clientes que possuem financiamento para construção da casa própria, sem a necessidade de vistoria da obra.

“A Caixa está sendo criteriosa na concessão dos financiamentos, e há uma certa dificuldade de algumas pessoas relacionada à comprovação da renda, mas não há impedimento por parte do banco para novos financiamentos. Isso e as medidas, como a carência de 180 dias para iniciar o pagamento, tem feito muitas pessoas aproveitarem a oportunidade”, declarou.

Em relação ao aluguel de imóveis, no entanto, a situação é um pouco diferente. Segundo um empresário que possui imóveis comerciais afirmou que os inquilinos estão pedindo desconto no aluguel em decorrência da queda no faturamento. 

“Estou negociando descontos de 20% a 30%, porque eu também dependo dessa renda para sobreviver. Sei que tem gente que está dando desconto de 50% ou até dispensando o aluguel por completo, mas eu não posso fazer o mesmo. Da mesma forma tem proprietário de estabelecimento que não foi afetado pela quarentena, porque continuaram tendo a permissão de funcionar, que querem se aproveitar da situação para pedir desconto”, afirmou.

Fonte: Sete Segundos

Autor: Renzeti Arq. e Construção

Mais Dicas e novidades